Fotos Flickr

Declaração conjunta MAIS e NOS – Greve Geral: derrubar Temer e suas reformas!

Em todo país, diversas categorias de trabalhadores se preparam para cruzar os braços nesta sexta-feira, 30 de junho. Os metalúrgicos, metroviários, petroleiros, funcionários públicos, trabalhadores da construção civil, rodoviários, entre outros setores, vão à luta pela derrubada das contra-reformas e desse governo ilegítimo. 

Vão se somar também à greve geral os sem-tetos, estudantes, sem-terras, aposentados, desempregados, enfim, o conjunto dos movimentos sociais do país. Afinal, está em jogo os direitos históricos do nosso povo, conquistados com muita luta. A burguesia quer acabar com a aposentadoria pública e eliminar os direitos trabalhistas para engordar ainda mais os lucros dos grandes empresários e banqueiros. 

As paralisações e manifestações dessa sexta-feira ocorrerão num momento de aguda crise política – o que aumenta a importância desse dia de greve. Embora odiado pelo povo e acossado por denúncias de corrupção, Michel Temer (PMDB) segue com o objetivo de impor as contra-reformas. A intenção do governo é que a Reforma Trabalhista seja votada pelo Senado na primeira semana de julho. 

A tarefa de barrar as reformas é inseparável da luta pela derrubada desse governo. Temer, embora tenha sido pego em flagrante cometendo os mais variados crimes, ainda conta com o apoio de parte do grande empresariado devido à agenda de reformas. Por isso, a greve de amanhã deve pronunciar em bom e alto som: Fora Temer e suas Reformas! 

Ao mesmo tempo, não podemos aceitar que ocorram eleições indiretas, caso Temer venha a cair. Esse Congresso de golpistas e corruptos não têm nenhuma legitimidade para definir o próximo presidente da República.  Alguns setores da burguesia, como a rede Globo, defendem a saída de Temer, mas querem votação indireta e a manutenção das Reformas. Por isso, defendemos Eleições Diretas Já para Presidente e o Congresso. Que o povo decida! 

Nesse momento, é preciso concentrar todos os esforços para que ocorram fortes paralisações e grandes manifestações de rua nesta sexta-feira (30). Cada iniciativa de base deve ser incentivada e apoiada! Infelizmente, a maioria das Centrais Sindicais, às vésperas da votação da Reforma Trabalhista, decidiu não priorizar a construção da Greve Geral, que poderia ser maior que a de 28 de abril e, assim, ter força para enterrar de vez os planos de Temer. A Força Sindical e a UGT, por exemplo, preferiram negociar com o governo Temer. Um escândalo!  Consideramos que é inadmissível  qualquer recuo das direções sindicais diante dos ataques brutais aos direitos dos trabalhadores. 

Para barrar os retrocessos e mudar o Brasil de verdade é necessário apostar na capacidade de luta da classe trabalhadora. Não será por meio das instituições apodrecidas do estado capitalista (Congresso, Judiciário, etc.) e dos conchavos com a burguesia que virão as mudanças estruturais. As mudanças virão pela força da luta e da organização independente do trabalhadores, da juventude e do povo pobre. 

Nesse sentido, a NOS e o MAIS acreditam que é preciso construir uma nova alternativa de esquerda no Brasil, que supere o fracassado projeto do PT de conciliação com os ricos e poderosos; conciliação de classes que resultou no golpe parlamentar de Temer e Cunha. Por isso, defendemos a construção de uma Frente de Esquerda Socialista que ouse enfrentar os privilégios dos que exploram e oprimem nosso povo; uma Frente que reuna todas organizações, movimentos e coletivos combativos do nosso país.  

Todos e todas à greve geral do dia 30!

Fora Temer e sua reformas! 

Diretas Já para presidente e o Congresso!

Construir a Frente de Esquerda Socialista! 

Por um governo do povo trabalhador!

Post A Comment