Fotos Flickr

Nota de repúdio ao governo Temer, que feriu autonomia universitária ao exonerar superintendente do HU da UFAL

O MAIS – Movimento por uma Alternativa Independente e Socialista repudia a exoneração de Maria de Fátima Siliansky de Andreazzi, superintendente do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes da Universidade Federal de Alagoas (HUPAA/UFAL). Entendemos que o Governo Federal, usando o fato da gestão do HU estar nas mãos da EBSERH, ataca a autonomia universitária ao exonerar a servidora Fátima, nomeada pela Reitora da Universidade. Ambas são militantes da Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde, que vem questionando a conduta da EBSERH como modelo de gestão.

Sabemos que a institucionalização deste modelo de gestão nas unidades de saúde pelo Brasil a fora não foi autorizada pela comunidade acadêmica, ao contrário, em diversas reitorias, como no caso do Rio de Janeiro no HU da UniRio, só aconteceu sob forte repressão.

O presidente da EBSERH, Kleber Morais, nomeado pelo ilegítimo e golpista governo Temer, torna explícito os reais interesses da EBSERH e de corporações do mercado, que é promover o desmonte do SUS, precarizando, cada vez mais, as relações de trabalho.

Não toleraremos qualquer ingerência no HUPAA. O MAIS se coloca na trincheira na defesa dos espaços democráticos da Universidade e na luta contra qualquer forma de privatização das unidades públicas de saúde, sejam elas via EBSERH, Fundações, ou Organizações Sociais. Contudo, é necessário garantir também a liberdade sindical dos trabalhadores que têm vínculo celetista e que estes tenham apoio do conjunto dos trabalhadores contra o assédio moral.

O MAIS soma em diversos Fóruns de Saúde pelos estados e seus militantes acompanham a luta da professora Fátima, assim como da Reitora da UFAL Valéria, garantindo os espaços democráticos da comunidade acadêmica.

Exigimos a revogaão imediata da exoneração da servidora. E se com essa atitude, o Governo Federa e a EBSERH acham que vão intimidar os movimentos sociais e sindicais, estão muito enganados. Nossa luta é diária contra a opressão em defesa do SUS público, gratuito e de qualidade. Esse é o direito do povo e não abrimos mão.

MAIS SUS

Post A Comment